Catingueira

Publicidade
Publicidade


26/05/2013 09:46

Catingueirense demonstra indignação pela falta de compromisso de Gestor Municipal.



Visitando o blog catingueiranoticias.com.br. deparei-me com uma informação publicada em 13/04/2013, com a seguinte manchete: “Estudantes fazem manifestação em frente à prefeitura pelo TRANSPORTE ESCOLAR em Catingueira”.  

Triste notícia! Não apenas pelo seu conteúdo em si mesmo mas por ter a certeza dos efeitos nefastos que atitudes de administradores públicos irresponsáveis e despreparados podem provocar na vida dos nossos jovens catingueirense, já tão desprovidos de inúmeros direitos constitucionalmente garantidos e, mesmo quando alguns ainda lhes são dados, vêm sob a forma de favor, de clientelismo. 

 

Lembro-me dos momentos da campanha eleitoral em que mediante diversos escritos chamei a atenção de nosso povo para o despreparo desse menino Albino. Agora, passados já quase seis meses como gestor, demonstra não apenas despreparo, mas desprezo pelo povo e, sobretudo, uma peculiar vocação para Judas, por tão cedo, tão brevemente, trair-se e trair o povo. E o trai negando-lhe um dos bens mais preciosos: O direito a um futuro digno. 
Nega dignidade, sim, porque ao negar transporte escolar para jovens que frequentam uma faculdade já à custa de enormes sacrifícios, está o Prefeito obstando o futuro desses jovens e tirando-lhes a oportunidade de um porvir com mais dignidade, princípio basilar de nosso Estado Democrático de Direito. 
 

Ao me referir à traição a si próprio e ao povo, pretendo remeter o leitor às promessas de campanha do agora Prefeito. No mesmo catingueiranoticias.com.br há um vídeo contendo uma entrevista do então candidato Albino, concedida ao catingueiraonline na data de 19 de setembro de 2012, na qual fez as seguintes promessas no quesito “Educação”: a) combater a evasão escolar; b) capacitar professores; c) adquirir os produtos para a merenda escolar junto aos comerciantes locais; d) Transporte escolar em três turnos; e) concessão de bolsas universitárias, mediante parcerias com universidades privadas; f) cursos profissionalizantes; g) fornecer fardamento e todo o material escolar às crianças da rede pública de ensino municipal; h) cobertura total da cidade com a internet. 
 

Ora, se esse menino não está sendo capaz de cumprir com a mais básica das providências necessárias à continuidade de um curso universitário por nossos jovens catingueirenses – que é o transporte escolar - como será capaz de se fidelizar com tantas outras promessas por ele feitas de forma vã e irresponsável? Como pode alguém se comprometer perante um povo inteiro com algo que não será capaz de cumprir? Se esse menino não conseguiu até então ser fiel nas pequenas coisas, como poderá ser naquelas maiores, tais como prover uma educação básica de qualidade, responsabilidade atribuída diretamente ao Município por nossa Constituição Federal.

Negar transporte escolar para estudantes universitários é ato repugnável, principalmente se praticado por gestor público que em passado tão próximo prometeu essa providência em três turnos. É negar a esses estudantes, portanto, a própria condição de se educarem. 

Aliás, por falar em responsabilidade pela Educação, engana-se mais uma vez o menino Albino ao pensar e dizer que foge às atribuições do Município a concessão de transporte escolar, seja para estudantes universitários ou mesmo da educação básica. A Constituição Federal (Art. 30; VI) atribuiu diretamente ao Município a responsabilidade pela educação infantil e ensino fundamental e ao elencar os direitos sociais (Art. 6º) inicia exatamente pela educação, denotando uma clara intenção do legislador constituinte de priorizar esse valor diante de tantos outros. Como se não bastasse, a mesma Carta Magna responsabiliza comumente a União, os Estados, o Distrito Federal e os

Municípios pela criação e facilitação dos meios de acesso à cultura, à educação e à ciência (Art. 23; V). 
Ratifica, assim, esse menino o seu total despreparo para gerir uma cidade, tal como por tantas vezes mencionei em meus escritos de campanha. Aliás, uma dos primeiros conhecimentos que um gestor público deve adquirir é exatamente acerca da nossa Lei Magna. Quem sabe se a conhecendo não aprenda a sensibilizar-se com as agruras do povo, a respeitar e a realizar seus direitos! 

Educação, Albino, está longe de ser tão-somente um conjunto de conhecimentos adquiridos de forma sistemática. Educação, menino Albino, é antes de tudo a promoção do ser humano em todos os seus aspectos: físico, intelectual, cultural, etc. E como pode um gestor público negar tal condição aos jovens? Somente alguém desprovido de educação pode agir dessa forma. 

Já é mais do que passada a hora de nosso Prefeito desvencilhar-se de um de seus motes de campanha – refiro-me àquela menção de ter sido criado em um cabo-de-enxada – e procurar também educar-se. Que tal começar pelo estudo de nossa Constituição? Só assim ele irá entender o seu verdadeiro papel e a dimensão de sua responsabilidade. É como se diz vulgarmente: Só assim irá lhe cair a ficha! 

Catingueiranoticias com Gilberto Mendes Rios

 



Fotos e vídeos da postagem


  • Clique para ampliar