Política

Publicidade
Publicidade


07/03/2017 17:49

Promotor explica caso de improbidade administrativa que ganhou destaque na imprensa local e estadual. Escute



Um caso de improbidade administrativa vem ganhando destaque na imprensa patoense e até em nível estadual, depois que foi recentemente divulgado nos meios de comunicação.  

De acordo com o promotor Alberto Cartaxo (Ministério Público de Patos), a ação civil pública por improbidade administrativa ajuizada se refere às faltas de trabalho do investigado Valdivino Nóbrega de Jesus.

Segundo informou o promotor, o investigado teria sido flagrado por várias vezes pela Polícia, praticando o crime ambiental de tráfico de animais, inclusive em outros estados. Mesmo tendo perdido alguns dias de trabalho por consequência das prisões, a lista de presença de Valdivino no emprego do estado não constava sequer uma falta.

“Ele não recebeu uma única falta em razão das prisões que ele sofreu nos outros municípios e outros estados. E por esse motivo foi ajuizada a ação civil pública por improbidade administrativa. Inclusive ele passou um mês preso no estado do Paraná e mesmo assim recebeu seu salário integral, como se tivesse trabalhado”, explicou o promotor.

Além da primeira acusação de improbidade, ainda ficou caracterizado o ato de enriquecimento ilícito, uma vez que o servidor público recebe dinheiro de forma indevida, neste caso advindo da esfera estadual.

Ainda segundo colocou o promotor Alberto Cartaxo, o segundo indivíduo promovido é o senhor Eriosvaldo Perônico, que atestava as presenças do senhor Valdivino Nóbrega de Jesus. Ele atuou como co-autor do crime, e portanto, também responderá em juízo.

 

Matéria por Patosonline.com

Sonora de Higo de Figueiredo (Rádio Espinharas)